Como vimos no artigo passado, “O que aconteceu no primeiro semestre do ano no Comércio Exterior” , o cenário logístico mudou muito em 2020 desde os primeiros meses do ano até hoje. 

Todos os setores da economia foram influenciados pelo Coronavírus e novas estratégias tiveram que ser traçadas para a sobrevivência das empresas. Neste artigo será abordado como o setor marítimo foi influenciado durante a pandemia do Coronavírus e como esse setor contribuiu para o abastecimento e movimentação da economia.

Embarque e desembarque

Para o setor produtivo, durante a pandemia, 38% das indústrias afirmaram dificuldade em adquirir insumos e matéria prima, porém ao contrário da China, que teve problemas logísticos por falta de transportadoras e estivadores, o Brasil continuou com as suas operações portuárias.É possível dizer que o setor marítimo se mostrou resistente a crise gerada pelo vírus, porém não se pode dizer o mesmo do setor aéreo.

“Com exceção do porto de Gênova, na Itália, que se encontra no epicentro da crise no continente europeu, o setor portuário mundial vem conseguindo manter as operações e atender às demandas de embarque e desembarque”.

– Confederação Nacional da Indústria.

Mesmo assim, em março, o Baltic Dry Index (BDI), índice que controla custos logísticos de navios que fazem transporte de minerais a granel, apontou um aumento de 30,5% em relação a fevereiro.

Cabotagem

O projeto de incentivo brasileiro “BR do Mar” existe desde 2019 e na última sexta feira (12), o senado apresentou novas regras para a expansão da cabotagem. A cabotagem cresceu 10% durante o COVID-19 no transporte de contêiner e possui potencial para crescer ainda mais, dessa forma ajudando a reduzir a quantidade de caminhões nas rodovias brasileiras.

*Cabotagem: Navegação nacional entre portos marítimos, sem perder a costa de vista.

Tecnologia

Segundo o diretor comercial da Maersk line, Gustavo Paschoa, durante a pandemia o processo de digitalização foi acelerado, bem como a migração dos players de comércio exterior para as plataformas digitais. Para o Comércio Exterior isso significa que haverá a melhoria gradativa de processos logísticos nas operações de importação e exportação, pois a  digitalização é necessária para otimizar o tempo e custos dos processos e melhorar o nível de serviço das empresas aos consumidores. 

Mesmo com desafios logísticos, conclui-se que o setor marítimo no Brasil se mostrou resistente às adversidades trazidas pela pandemia e também acelerou o processo de evolução do setor.  Acompanhe os próximos artigos para ler sobre demais setores da economia que impactam diretamente no Comércio Exterior.

Como será o cenário pós pandemia?

Para saber mais sobre como será o cenário pós pandemia na logística internacional, armador, agente de carga, NVOCC, despachante aduaneiro, trader internacional, especialista em Marketing e a UXComex se unem para responder essa questão!

Não se esqueça de compartilhar com mais profissionais!

Nos siga em nossas redes sociais!

Artigo escrito por Kauana Benthien A. Pacheco

Kauana tem seis anos de experiência no comex, é formada em Negócios Internacionais e cursa pós-graduação em Big Data & Market Intelligence. É criadora da página de conteúdo sobre comércio exterior, a  ComexLand, onde escreve sobre Economia Global e Comércio Internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *