Comemora-se na data de hoje, 07 de julho, o Dia Mundial de Chocolate, um produto apreciado por grande parte das pessoas em todo o mundo e que também faz parte do dia a dia de diversos profissionais de logística e comércio exterior, que participam de operações de importação e exportação desses produtos tão cobiçados por diferentes países. Segundo uma pesquisa da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab) divulgada no ano passado, cerca de 82,6% dos lares brasileiros compram chocolates regularmente e o consumo registrou uma alta significativa desde o início da pandemia em 2020.

Não há um consenso geral sobre o motivo da data de hoje ser escolhida como o “Dia Mundial do Chocolate”, no entanto, uma das teorias reconhecidas é sobre a chegada dos primeiros chocolates ao continente europeu ainda no século XV, produtos que até então eram consumidos apenas em civilizações das Américas.

Importação e exportação – qual é a participação do Brasil no
comércio internacional de chocolates?

Apesar de não estar entre os principais exportadores de chocolate do mundo (como Suíça, Reino Unido, Canadá e França), o Brasil também possui sua participação neste mercado. No ano passado, foram mais de 30 mil toneladas de chocolates exportados, gerando uma receita de US$126,24 milhões para o país. Nossos vizinhos da América do Sul foram os principais destinos, principalmente Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai e Bolívia. Os estados de São Paulo, Minas Gerais e Paraná lideram como principais estados exportadores.

Em relação às importações, o Brasil importou cerca de 20.000 toneladas em 2021, sendo as principais origens do nosso chocolate a Argentina, Suíça, Índia, Alemanha e Itália. Levando em consideração os dados do primeiro semestre deste ano, as importações brasileiras de chocolate registraram queda na receita e no volume, enquanto as exportações registraram alta de 17,6% e 10,3%, respectivamente.

As maiores indústrias de chocolate do mundo são Mars (EUA), Mondelez (EUA), Nestlé (Suíça), Ferrero (Itália), Kraft Foods (EUA) e Hershey’s (EUA), todas elas com instalações e grande distribuição de chocolates e demais alimentos no Brasil.

Como agentes e despachantes podem se destacar neste
segmento?

As importações de chocolate exigem algumas peculiaridades e anuências, no entanto, os retornos financeiros podem ser bem atrativos por ser um produto com uma ampla base de consumidores. Além disso, novidades estrangeiras fazem bastante sucesso entre os brasileiros, que buscam conhecer diferentes sabores.

A importação de produtos alimentícios no Brasil é controlada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), órgão responsável por certificar a qualidade e a segurança desses produtos, protegendo a saúde da população. A concessão da Licença de Importação (LI) é também de competência da ANVISA.

Além da parte burocrática que o importador deve se atentar, evitando que a carga não seja liberada, outros pontos de atenção são essenciais para o sucesso da operação. É importante entender o mercado local e saber por onde você irá escoar sua importação, outro fator determinante é em relação ao modal de transporte escolhido e o acondicionamento da carga, pois temperaturas elevadas ou embalagens rasgadas e amassadas podem comprometer a qualidade e a estética dos produtos, levando a baixa demanda no mercado e prejuízos para o importador.

Facilite as suas importações com o nosso integrador e garanta sucesso nas suas operações. Através do software da UxComex é possível visualizar todas etapas da importação: desde as negociações até a chegada da carga no seu destino final, evitando a perda de prazos e esquecimento de algum processo. Conte conosco e garanta qualidade e eficiência para os seus clientes!

Leave A Comment