A crise é de ordem mundial: o preço do petróleo está disparando em todo o mundo e já subiu cerca de 60% em 2021, com previsões de novos aumentos até o final do ano. O WTI, por exemplo, um dos tipos de barris de petróleo mais negociados no comércio exterior, subiu de US$48 no início do ano e superou a marca dos US$80 neste mês, valor mais alto registrado desde 2014.

Dessa forma o mercado de combustíveis está sendo fortemente afetado, principalmente no Brasil, que o óleo diesel, a gasolina e o etanol estão puxando a inflação, problema que é reflexo tanto da alta do petróleo como commodity como da desvalorização do real, visto que a cotação do dólar no Brasil avançou 30% em 2020 e deve fechar 2021 com cerca de 5% a mais, impactando diretamente nos preços de produtos que possuem insumos importados. No último reajuste feito pela Petrobras, o litro do diesel já subiu 65% nas refinarias desde o início do ano e o da gasolina, 73%.

Qual a participação do Brasil no mercado internacional?

O Brasil é um importante player no mercado internacional de óleos brutos e combustíveis de petróleo tanto nas importações como nas exportações. Quanto aos óleos combustíveis, o Brasil já exportou cerca de US$6 milhões esse ano, o equivalente a 12,1 milhões toneladas, alta de 50% em relação ao ano passado. Singapura foi o principal destino dos embarques brasileiros, com 53% de participação, seguida dos Estados Unidos, com 13%, e outros países com participações menores, como Holanda, Panamá, Libéria e Ilhas Marshall.

Quanto aos estados brasileiros, São Paulo é de onde sai a maior parte (42,3% do total) dos óleos combustíveis, seguido do Rio de Janeiro, Bahia, Pernambuco e Rio Grande do Sul.Quanto às importações do produto, os Estados Unidos lideram os embarques para o Brasil com 54% de participação, em seguida a Índia, com 11%, os Emirados Árabes Unidos, Holanda, Rússia e Espanha.

Em relação aos óleos brutos de combustíveis os principais destinos para os embarques brasileiros são a China, EUA, Índia, Chile e Portugal. Já nas importações, países da África e do Oriente Médio exportam bastante para o Brasil, como a Arábia Saudita, Argélia e Nigéria, além dos Estados Unidos, que possui 1/4 da participação.

Países se unem para derrubar preços

No dia 23 de outubro, a Casa Branca anunciou que os Estados Unidos estão em negociação com outros países de alto consumo energético como China, Índia, Japão, Coreia e Reino Unido para derrubarem os preços do petróleo, que estão impactando diretamente a saúde econômica e a produção energética e industrial desses países.

Uma das decisões que os Estados Unidos tomaram foi de utilizar cerca de 50 milhões de barris de petróleo de suas reservas, diminuindo assim a demanda externa a fim de desequilibrar a relação entre a oferta e a demanda e fazer com que o valor do petróleo caia.

Iara é graduada em Relações Internacionais e Comércio Exterior é produtora de conteúdo da página ComexLand, possui experiência de mercado na área comercial, de logística e importação.

Achou esse conteúdo interessante? Deixe um comentário em nossas redes sociais e compartilhe para chegar em mais profissionais da área.

Nos siga em nossas redes sociais!

Leave A Comment