5 dicas para melhorar o gerenciamento de risco no Comércio Exterior.

O que é gestão de risco?

Gestão de risco é a adoção de práticas dentro da corporação que colaboram com a segurança da operação e a identificação precipitada de possíveis ameaças. A gestão de risco pode ocorrer através de:

  • Melhorias na infraestrutura;
  • Criação de procedimentos estruturados, política e metodologias;
  • Avaliação de riscos e criação de planos de ação. 
  • Melhoria contínua da operação.

Gestão de risco no Comércio Exterior

Os players de Comércio Exterior estão cientes da grande quantidade de riscos que enfrentam, desde o início da produção da mercadoria até sua chegada no destino final. Esses riscos podem gerar grandes prejuízos se ocorrerem de fato. Por esse motivo, as empresas devem se preocupar em realizar um bom gerenciamento.

Em diversos casos de retificação não há multas cobradas pela Receita Federal, porém deve-se ter ciência que a autoridade aduaneira e órgãos anuentes possuem inteligência para entender quais processos possuem excesso de retificação ou omissão e isso pode ser um fator para a próxima carga parametrizar no canal vermelho. 

São diversos benefícios em realizar a gestão de risco dentro da sua empresa, são eles: redução de custos, redução de retificações, eficiência logística, fidelização de clientes, maior controle sobre o processo, redução de gargalos logísticos e redução de autuações, avarias e atrasos.

Neste artigo informaremos 5 dicas para melhorar o gerenciamento de risco nas operações de Comércio Exterior.

1- Avalie todos os riscos da operação

Todas as etapas da operação devem ser mapeadas a fim de identificar possíveis riscos: transporte, peculiaridades do processo, documentações, desembaraço, financeiro, etc.

Analise o histórico dos processos e seus KPIs e perceba com qual frequência prejuízos ocorreram ou erros que poderiam ter gerado prejuízos. 

2- Entenda os níveis de risco

Nem todos os riscos possuem o mesmo prejuízo, urgência e importância. Por esse motivo, após avaliá-los, separe em diferentes níveis de consequências: atrasos, multa, desgaste comercial, armazenagem, perda da mercadoria, etc.

3- Crie um plano de ação

Quanto maior o prejuízo, mais planejamento deve existir a fim de evitá-lo. Por esse motivo, é importante criar planos de ação antecipadamente para lidar com possíveis adversidades. Nesse plano, simule um cenário otimista, um realista e um pessimista.

4- Monitoramento e Controle

A tecnologia pode ajudar na identificação de dados e informações importantes para controle e monitoramento dos processos. Processos na nuvem e follow ups automatizados podem facilitar o controle e ajudar na identificação de responsabilidades.

5- Comunicação assertiva

Sabemos que um pequeno erro no Comércio Exterior pode se transformar em uma grande bola de neve se não for resolvido de forma assertiva. Por isso, cada colaborador da empresa deve entender que além de executar sua função, precisa entender como lidar com um possível problema na operação.

É importante investir em treinamentos para equipes internas e também para clientes, dessa forma é possível aumentar o controle sobre o processo e evitar surpresas futuras.

Dicas extras para evitar riscos:

  • Contrate apenas fornecedores que você confia;
  • Possua uma equipe com especialistas;
  • Possua um orçamento alocado para cada nível de risco;
  • Comunique-se antecipadamente;
  • Crie um protocolo com atividades a serem executadas em caso de adversidades;
  • Tenha um diretrizes dentro da sua empresa e respeite as acordadas com clientes;
  • Para evitar erros utilize PDCA (planejamento, execução, verificação e ação).

A tecnologia ajuda diversas empresas a identificar, monitorar e controlar possíveis riscos no Comércio Exterior. Conheça os serviços que a UXComex pode oferecer para sua empresa. Clique aqui.

Achou esse conteúdo interessante? Deixe um comentário em nossas redes sociais e compartilhe para chegar em mais profissionais da área.

Nos siga em nossas redes sociais!

Nos siga em nossas redes sociais!

Artigo escrito por Kauana Benthien A. Pacheco

Kauana é formada em Negócios Internacionais e cursa pós-graduação em Big Data & Market Intelligence. É fundadora da primeira agência de marketing focada em Comércio Exterior, a ComexLand.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *