A Associação Internacional de Transportes Aéreos (IATA) considerou 2020 como “O Pior Ano da História da Aviação” e estimou o prejuízo anual de aproximadamente US$84 bilhões para esse setor que será responsável pela queda de US$ 5,6 bilhões do Produto Interno Bruto (PIB) global.

Os tempos sombrios para as companhias aéreas fizeram com que algumas buscassem estratégias para própria sobrevivência e tentativa de reverter o cenário desfavorável. Porém nem todas conseguiram, como foi o caso da companhia AVIANCA, que após 1 ano sem operar, encerrou as operações e pediu falência. 

Demissões em massa e solicitação do apoio estatal não parecem ser suficiente para reverter o prejuízo. O presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR) afirmou que não há risco de falência para as principais companhias brasileiras (LATAM, Gol e Azul), porém a aviação não será mais a mesma.

Neste artigo será abordado as 10 mudanças que ocorreram no setor aéreo no primeiro semestre do ano. 

1- Voos charter

Com a alta demanda por insumos estrangeiros e urgência na operação, diversos voos foram fretados fora das rotas tradicionais para importação de produtos médicos-hospitalares que combatem a COVID-19.

O que é voo charter? Voo charter são voos fretados que não possuem cronograma definido pelas companhias aéreas, a vantagem é o menor transit time e a personalização do serviço, pois é possível definir horários, rotas, e como se dará armazenagem e manuseio.

2- Adaptação voos de passageiros + cargas

O fechamento das fronteiras e o período de isolamento recomendado geraram uma brusca queda nos voos comerciais. Com os porões lotados, diversas companhias aderiram a estratégia de incluir cargas no ambiente de passageiros.

Carga transportadas na cabine de passageiros de um Boeing 777 da Latam

A ANAC autorizou essa operação durante o período de pandemia, porém com a ressalva de que se houver passageiros as cargas não poderão embarcar na cabine.

3- Parceria LATAM e AZUL

Ao perceber que suas rotas eram complementares, a LATAM e AZUL anunciaram um acordo de codeshare (compartilhamento de voo) em 50 rotas domésticas, com o objetivo de chegar em 200 rotas. 

Questionado sobre uma possível fusão entre as duas companhias,  o presidente da Azul descartou a ideia:

“A parceria é uma forma de ajudar a recuperar a malha aérea brasileira. É só uma forma de chegarmos a novos destinos”

O presidente da Gol, ao comentar o caso, afirmou que mesmo a Gol não tendo nenhum objetivo de parceria, isso será cada vez mais comum.

4- Conexão Florianópolis – Miami

A concessionária do aeroporto de Floripa conseguiu a negociação com a LATAM Cargo para conectar Florianópolis e Miami.  Com a melhoria da infraestrutura no Aeroporto Internacional Hercílio Luz (FLN), foi possível a homologação da ANAC. A nova rota cargueira irá começar em agosto e terá frequência semanal.

5-  Aeroporto VCP

O presidente Jair Bolsonaro qualificou o terminal de campinas no Programa de Parceria e Investimento (PPI) e autorizou a relicitação do terminal. Esse processo soluciona a dívida de R$ 2,88 bilhões do empreendimento. 

Além disso, o Aeroporto de Viracopos recebeu novas câmaras frias que podem armazenar até 420 pallets e atendem a demanda da exportação de produtos médicos, químicos, farmacêuticos e perecíveis.

6- Aplicativo rastreamento GRU

O aeroporto de Guarulhos (GRU) lançou um aplicativo para que players do Comércio Exterior, possam rastrear cargas, dessa forma gerando agilidade nas operações, uma vez que é possível ter informações úteis no aplicativo, como o horário de recebimento e entrega. Além disso, é possível obter dados da carga, como peso, volume, origem, destino e uma lista de contatos.

7 – Lufthansa em Recife e Rio Grande do Norte

O aeroporto de Recife (Pernambuco) comemora nova operação com a companhia alemã, Lufthansa. O voo inaugural foi dia 21 de julho e serão 2 operações semanais com destino a Frankfurt, na Alemanha. A expectativa é que a principal mercadoria exportada sejam frutas e outros alimentos nordestinos.

Por outro lado, a Lufthansa deixa de operar em Natal (Rio Grande do Norte), que transportava aproximadamente 60 toneladas de frutas (melão e mamão) e pescados.

8 – AliExpress utiliza voos cargueiros

Anteriormente, as compras realizadas pelo AliExpress eram transportadas em voos comerciais, porém com a queda dos voos, aumento da demanda de seus consumidores e a necessidade de cumprir prazos, não houve outra alternativa, a não ser utilizar voos cargueiros. A gigante do e-commerce fechou um acordo com a companhia Atlas Air, onde acordou dois voos semanais entre China, Brasil e Chile.

9- Revisão de frotas

Com mais de 50 anos de história o processo de “aposentadoria” do Boeing 747, conhecido como Jumbo, foi acelerado. O modelo já foi o maior avião de passageiros do mundo, porém com a queda da demanda e o grande consumo de combustível desse modelo seus voos foram encerrados.

10- CCT Aéreo – Módulo de Importação

O CCT no módulo de importação já está disponível para os primeiros testes e nós preparamos um E-BOOK para você AGENTE DE CARGA, que deseja saber como esse novo módulo do Portal Único vai funcionar. 

Para baixá-lo de forma gratuita, acesse o link: 

O que você achou dessas mudanças? Deixe sua opinião no Instagram @uxcomex

Não se esqueça de compartilhar com mais profissionais!

Nos siga em nossas redes sociais!

Artigo escrito por Kauana Benthien A. Pacheco

Kauana tem seis anos de experiência no comex, é formada em Negócios Internacionais e cursa pós-graduação em Big Data & Market Intelligence. É criadora da página de conteúdo sobre comércio exterior, a  ComexLand, onde escreve sobre Economia Global e Comércio Internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *